Especialista de Serviço Social (m/f)

disponível até 24 de junho de 2022

Ref.ª 491/RS/DIRH/2022

(Vaga Definitva)

Descrição funcional:

Integrado na Casa de Acolhimento, terá como principais responsabilidades:

  • Elaborar o diagnóstico dinâmico da realidade familiar e da realidade psíquica da criança/jovem em contexto residencial;
  • Definir, acompanhar e avaliar/reavaliar diagnósticos dinâmicos e consequentes Planos de Intervenção Individual (PII) e/ou Familiares (PIF), adequando estratégias às necessidades especificas das crianças e jovens, com vista à definição e execução do Projeto de Vida;
  • Promover o desenvolvimento de capacidades e competências sociais em sintonia com os princípios éticos e deontológicos;
  • Assumir uma avaliação técnica consistente do perfil de cada criança/jovem e dinâmica da família de origem, orientando a ação para a sua capacitação e inserção social plena;
  • Estabelecer uma relação interpessoal facilitadora com a equipa, com as crianças/jovens e famílias, potenciadora de um ambiente reparador e transformador, bem como, enquadrada num modelo de intervenção com intencionalidade terapêutica;
  • Elaborar Relatórios/Informações sociais para Tribunais, Ministério Público, Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) e outras entidades;
  • Articular com as entidades/serviços internos e externos (escolas, serviços de saúde, ação social, etc.);
  • Diagnosticar, encaminhar e acompanhar adequadamente as crianças/jovens para os recursos da comunidade, consoante as necessidades identificadas;
  • Assumir um posicionamento alicerçado no saber técnico, capacidade relacional empática e responsiva numa perspetiva alinhada com a Equipa e Intervenção definida;
  • Participar na definição de atividades pedagógicas, lúdicas e culturais, alinhadas com a intervenção preconizada;
  • Manter a confidencialidade e a segurança de toda a informação tratada no decurso da sua atividade profissional em conformidade com os requisitos e normas de certificação.

Perfil pretendido:

  • Licenciatura em Serviço Social (Licenciatura pré-Bolonha ou Licenciatura e Mestrado Integrado pós-Bolonha, quando aplicável); (fator eliminatório)
  • Conhecimentos sobre a Lei de Promoção e Proteção de Crianças e Jovens em Perigo (Lei147/99 de 1 de setembro e respetivas alterações); (fator eliminatório)
  • Conhecimentos sobre princípios de intervenção do Acolhimento Residencial (preferencialmente, com intencionalidade terapêutica); (fator eliminatório)
  • Conhecimento sobre o desenvolvimento da criança e/ou do jovem e conhecimentos sobre o ciclo de vida e dinâmicas familiares;
  • Experiência profissional relevante (superior a 2 anos) em trabalho com crianças e ou jovens no âmbito do risco e do perigo;
  • Disponibilidade para trabalhar alguns sábados por mês e em horário pós-laboral;
  • Disponibilidade para trabalhar em regime de horário desfasado ou flexível;
  • Conhecimentos de informática na ótica do utilizador (e.g., Windows, Excel, PowerPoint);
  • Conhecimentos especializados e experiência – Conjunto de saberes, Informação técnica e experiência profissional, essenciais ao adequado desempenho das funções;
  • Domínio das técnicas de entrevista a famílias e crianças e de realização de visitas domiciliárias;
  • Tolerância à pressão – demonstrar capacidade para lidar com situações de pressão e com contrariedades de forma adequada e profissional;
  • Relacionamento Interpessoal – Evidenciar capacidade para estabelecer uma relação interpessoal facilitadora com a equipa, com as crianças e jovens, com as famílias e com os demais interlocutores;
  • Empatia – Demonstrar capacidade para assumir uma atitude empática, facilitadora da ação preconizada no modelo de acolhimento residencial com intencionalidade terapêutica;
  • Aprendizagem contínua – Evidenciar disponibilidade para aprender, procurar feedback, querer desafiar-se e, sobretudo, encarar os desafios como oportunidades de desenvolvimento;
  • Trabalho em equipa – Demonstrar capacidade para ser flexível, valorizar as ideias de cada um/a, saber identificar os conflitos existentes e conseguir adaptar-se às necessidades e objetivos do grupo;
  • Resiliência – Evidenciar capacidade para resolver problemas e adaptar-se às mudanças no ambiente resistindo à pressão que as situações podem oferecer. Saber enfrentar os constrangimentos e/ou eventuais conflitos do quotidiano da Casa de Acolhimento e conseguir recuperar o equilíbrio para seguir em frente;
  • Autonomia e Iniciativa – Manifestar capacidade para ações proativas e autónomas, procurando uma resposta imediata ou em tempo útil às solicitações imprevistas e/ou planeadas no quotidiano da Casa de Acolhimento.

A SCML oferece:

  • Contrato Individual de Trabalho;
  • Enquadramento ajustado à especificidade da função;
  • Remuneração ajustada à atividade;
  • Oportunidade de valorização profissional.

Candidate-se até 24 de junho de 2022

submeter candidatura

Download

DECLARAÇÃO DE CONSENTIMENTO

Os candidatos que reúnam o perfil requerido devem submeter a candidatura através desta página (preferencialmente) ou através de correio.

As candidaturas devem ser acompanhadas dos seguintes documentos:

  • Curriculum Vitae em português
  • Certificado de Habilitações Literárias (reconhecidas em Portugal);
  • Certificados de Cursos de Formação;
  • Comprovativo de inscrição no Centro de Emprego (caso se encontre desempregado);
  • Declaração de Consentimento.

Salienta-se que a candidatura só é válida mediante a apresentação da Declaração de Consentimento devidamente preenchida, caso a candidatura não venha acompanhada da Declaração de Consentimento será eliminada automaticamente.

Os candidatos pré-selecionados na 1ª fase serão contactados pela SCML, no prazo de 15 dias (úteis) após a data limite de receção de candidaturas.